Mostra de animações reúne quatro décadas de 2D, 3D e stop motion

Que tal fazer um percurso pelo universo fantástico brasileiro das últimas quatro décadas? É com essa proposta que o Itaú Cultural estreia a mostra de animações online “Álbum Animado de Bestiários”, capaz de encantar adultos e crianças.

“Álbum Animado de Bestiários” é a nova mostra online de cinema do Itaú Cultural

Três longas e sete curtas-metragens compõem a seleção da mostra. Todos eles são inspirados no conceito literário antigo do bestiário, uma espécie de guia que descreve o mundo animal, muitas vezes sobrenatural. Isso significa que os personagens dos filmes são criaturas diferentes, reais ou imaginárias, com atitudes humanas.

Para fazer o espectador mergulhar nesse mundo mágico, que flerta com o onírico, os filmes utilizam várias técnicas de animação, como o 2D, o stop motion e o 3D. A mostra de animações fica disponível no site do Itaú Cultural entre os dias 11 e 30 de julho.

Animações do Álbum Animado de Bestiários

A viagem ao mundo encantado dos bestiários começa com o curta “Meow!” (1981), de Marcos Magalhães. O público é apresentado a um gato esfomeado que fica sem leite e é convencido a tomar um refrigerante esquisito. Em suas andanças, o animal tece uma crítica à globalização e aos padrões de consumo.

Curta “Meow!” é o mais antigo da mostra de animações do Itaú Cultural

Os anos 1980 continuam representados na mostra pelo “Boi Aruá” (1985), primeiro longa-metragem de Chico Liberato. O cineasta é considerado um dos pioneiros da animação no centro-oeste e nordeste do país. Na história, inspirada no imaginário nordestino, um fazendeiro arrogante e egoísta é obcecado pela figura misteriosa de um enorme boi negro que, além de zombar dele, parece desafiá-lo.

As outras produções já são dos anos 2000. “Tyger” (2006), de Guilherme Marcondes, critica o modelo de vida contemporâneo e o desenvolvimento humano das megalópoles. Na obra, um enorme tigre aparece misteriosamente em uma grande cidade. Nos cinco minutos deste curta, o felino percorre as ruas durante uma noite, revelando a realidade escondida.

“Tyger” valoriza as forças da natureza

O diretor Alê Abreu, responsável pelo poético e premiado “O Menino e o Mundo” (2014), também marca presença nesse evento virtual. No curta “Passo” (2007), um pássaro ganha formas e desejos de liberdade, que, ao mesmo tempo, podem ser apenas as vontades de quem lhe deu asas no papel.

Curta-metragem “Passo”, de Alê Abreu, também está disponível na mostra

E que tal conferir o primeiro longa de animação dirigido por uma mulher? “Brasil Animado” (2011) destaca-se por ser pioneiro na utilização da técnica 3D. O enredo aborda a vida dos cães Stress e Relax: um empresário que só pensa em dinheiro e um diretor de cinema que vive insistindo para que o outro invista em seus projetos. Desta vez, o “projeto” deles é procurar a árvore mais antiga do país. Durante a busca, eles descobrem curiosidades locais, danças, músicas e saborosas comidas.

“Castillo y El Armado” (2013), de Pedro Harres, é um curta baseado na história do animador uruguaio Ruben Castillo. Na narrativa, um jovem estivador divide seu tempo entre os tapetes que tem de carregar, a sua família e uma vara de pesca. Em uma noite de ventania, este atormentado e passivo personagem encontra a sua própria brutalidade na linha do anzol.

Toda feita a mão, esta obra rompe com o desenho da animação tradicional, o que lhe valeu 55 prêmios e menções desde o seu lançamento e a seleção em mais de 200 festivais – entre os quais o 71º Festival de Veneza. Entras as premiações está a de melhor curta no FICG30 Guadalajara, México, e de direção de arte no Anima Mundi Brasil.

“Castillo y el Armado” é um curta premiado que está na seleção do evento

No curta “Giz” (2015), o cineasta Cesar Cabral leva o espectador a confundir o real e o onírico enquanto acompanha um homem cuja rotina em uma imensa corporação não tem descanso. Incapaz de se relacionar com sua colega de trabalho, ele acaba tomado por um sonho hipnótico, até o ponto em que não pode mais perceber se está realmente acordado.

“Giz” está na programação da mostra

Selecionado pelo programa Rumos Itaú Cultural em 2014, o curta “Almofada de Penas” foi concluído em 2018. A obra faz uma metáfora do sentimento humano, ao contar a história de Alicia e Jordão. Ela contrai uma doença inexplicável, enquanto ele, seu marido, se demonstra indiferente. Porém, algum mistério oculto enlouquece a mulher, que passa a mesclar realidade e alucinações monstruosas.

Reflita sobre os sentimentos humanos em “Almofada de Penas”

Em sua carreira de dois anos acumulou diversas premiações. Entre elas, o Best Independent Short Film, como melhor curta metragem independente; o Stop Motion MX International Festival e o Best Developed Market Projects Oaxaca Film Fest, ambos do México. Na Grã Bretanha conquistou o Award Nominee UVFF 2019 (Unrestricted View Film Festival) pela melhor animação.

O curta “Poética de Barro” (2019), de Giuliana Danza, é baseado no trabalho de ceramistas mineiras e tem a trilha sonora composta por instrumentos da mesma matéria prima. A história retrata a saga de uma pequena criatura que precisa sobreviver às adversidades da vida. O filme foi animado em stop motion com argilas do Vale das Viúvas de Maridos Vivos (Jequitinhonha).

“Poética de Barro” é uma produção de 2019

O último longa de seleção é “Tito e os Pássaros” (2019), de Gustavo Steinberg e André Catoto. A animação apresenta uma narrativa atual e crítica sobre uma espécie de epidemia de medo que assola o mundo. Na obra, um menino e seus dois amigos embarcam em uma jornada para encontrar a pesquisa perdida do seu pai sobre canções de pássaros, que pode salvar seu mundo de uma peste na qual o medo adoece as pessoas.

Que tal aproveitar mais programinhas online?

Veja também: Teatro em casa: descubra vários espetáculos online e ao vivo em cartaz

Veja também: #MISemCasa: confira a programação completa e divirta-se

Veja também: #CulturaEmCasa: atrações online de toda Essepê para curtir na quarentena

Mostra de animações reúne quatro décadas de 2D, 3D e stop motion publicado primeiro em https://catracalivre.com.br

Autor: andreialisboarosa

Eu sou a Andreia Lisboa, trabalhei durante muito tempo como redatora de textos para revistas e revisão de textos para jornais. Estou intensamente ligada ao Marketing Digital e sua atuação no meio online. Sou blogueira a algum tempo e aprendi que as pessoas buscam por conteúdo de qualidade, por isso minha especialidade no Marketing Digital é escrever conteúdos qualificados, otimizados em SEO e que possam ajudar as pessoas. Meu objetivo é compartilhar com você experiências que possam te ajudar a ter sucesso trabalhando a partir de casa. Sim, o Home Office é a profissão do futuro. Além disso, gosto bastante de viajar e conhecer novos países e entender mais sobre suas culturas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s